Palmeira & Canto Verde

Olhando em direção ao sul, deixando a costa por um momento, entrando no interior do estado, a paisagem muda e muda também o estilo de vida da população. Pequenas comunidade de fazendeiros  vivem de forma simples, cultivando mandioca, coqueiros, cajus e feijões. Ao longo das estradas de terra batida se encontram grande latifúndios, alguns dos quais de propriedade dos mesmos fazendeiros. Em Palmeira, a comunidade vive em torno da pequena igreja, da escola e do mercado, que é muito rico e bem fornecido. Entre os aperto de mãos e a sincera hospitalidade, se intui a profunda dignidade daquela gente, misturada com uma pitada de curiosidade pelos visitantes de fora. Tornando em direção à costa, em direção à Prainha do Canto Verde, a viagem se torna um percurso no tempo, onde é possível admirar as tradilções da pesca que passam de pai para filho, sobrevivendo gerações. Nesta pequena área vivem cerca de 250 pessoas, todas da mesma família, e a vida é sujeita às variações das marés. Um lugar escondido, protegido nas costas da costa com dunas altíssimas e de frente a um oceano de cor esmeralda de águas quentes. Entre dias de pesca e repouso, de iguarias e mar, a vida passa serena. E tudo é visível nos olhos das pessoas que povoam este pedacinho apartado do mundo.

Pequenas jangadas entram no mar e por lá ficam durante dias, durante a noite os pescadores se protegem do frio e das ondas dentro de uma estrutura interna, e ao entardecer é possível ver as luzes dessas jangadas em meio ao oceano, essas luzes servem como sinalização para as grandes embarcações.

É possível organizar circuitos de viagem diretamente do hotel, em carro ou van.